Noções básicas sobre os rins

Esquema de um rim
O que acontece quando os rins deixam de funcionar?

Quando os rins começam a deixar de funcionar, não conseguem realizar na totalidade as suas funções mais importantes. Começa a acumular-se um excesso de água e de resíduos no sangue. A este processo dá-se o nome de uremia. Devido à acumulação de água e de resíduos, e à diminuição da produção de algumas hormonas é possível que comece a sentir-se doente. Existem diferentes opções de terapêutica de substituição renal disponíveis para assegurar a função que os seus rins anteriormente desempenhavam.

Doença renal: quem tem maior risco?

São vários os fatores que podem aumentar a probabilidade de desenvolver a doença renal crónica, tais como:

  • Diabetes;
  • Antecedentes familiares de doença renal;
  • Tensão arterial elevada;
  • Aumento da idade (acima dos 50 anos);
  • Obesidade;
  • Tabagismo.

É muito importante fazer a deteção precoce da doença renal. Por isso, deve perguntar ao seu médico se é aconselhável fazer o rastreio da doença renal crónica.

Sintomas

Quando os rins começam a falhar, ocorre uma acumulação de água e de resíduos no sangue e surgem outros problemas adicionais, conduzindo a um ou mais dos seguintes sintomas:

  • Inchaço das mãos, rosto, pernas;
  • Cansaço;
  • Perda de apetite;
  • Náuseas e vómitos;
  • Diminuição da quantidade de urina;
  • Falta de ar;
  • Tensão arterial elevada.

O que pode ser feito se os meus rins deixarem de funcionar?

Durante os estadios iniciais da insuficiência renal, o seu médico vai tentar retardar a progressão da doença através de tratamentos conservadores, tais como a adoção de um estilo de vida saudável, uma alimentação adequada e a toma de medicamentos.

Mais tarde, porém, vai precisar de um tratamento adicional para substituir a função renal perdida.

Existem três opções de tratamento diferentes substitutivos da função renal:

  • Hemodiálise;
  • Diálise peritoneal;
  • Transplante.