Cuidados de diálise

Prestador de várias modalidades

Com base nos anos de experiência e com a partilha das melhores práticas por toda a rede, a NephroCare tem a capacidade de disponibilizar terapêuticas de diálise completas para cada um dos nossos doentes de diálise. Assim, consoante diferentes planos de tratamento, disponibilizamos uma gama completa de terapêuticas – no centro, em casa e nos hospitais.

Hemodiálise

A hemodiálise (HD) envolve a filtração externa do sangue através de uma máquina de diálise.

Na NephroCare, pretendemos fornecer a todos os nossos doentes a melhor terapêutica possível de acordo com as suas necessidades individuais e condição física.

Assim, disponibilizamos diferentes formas de hemodiálise:

Hemodiálise na clínica

É a terapêutica mais comum de hemodiálise, consistindo em três sessões de tratamento por semana numa clínica de diálise.

Diálise Autónoma Longa Noturna na clínica

O tratamento de diálise noturna é realizado durante a noite, enquanto o doente está a dormir. O tratamento é mais longo, tem uma duração entre seis e oito horas e tem uma periodicidade de, pelo menos, três vezes por semana.

Diálise Autónoma Domiciliária (DAD)

A Diálise Autónoma Domiciliária representa uma alternativa ao tratamento num centro, uma vez que permite uma maior flexibilidade do horário e da frequência do tratamento. Contudo, os doentes estão sempre dependentes da sua equipa de cuidados para a realização de check-ups, apoio e gestão do caso.

Diálise Autónoma Domiciliária assistida

A NephroCare desenvolveu, dentro da modalidade de tratamento no domicílio, uma abordagem completa que inclui também o cuidado assistido, consoante o nível de independência do doente.

Autocuidado

Os cuidados prestados por um doente a si mesmo num centro de diálise são equivalentes ao nível de independência no tratamento da hemodiálise domiciliária. A chave para o autocuidado e para uma hemodiálise autónoma é o envolvimento do doente na maior parte ou em todas as etapas do tratamento.

Cuidados limitados

O nível de independência no tratamento por meio do autocuidado depende do doente, que será assistido. As diferentes etapas do tratamento serão partilhadas entre o doente e o equipa de cuidados de saúde.

Cuidados intensivos

Os doentes de diálise com uma elevada incidência de complicações ou mobilidade limitada podem receber o seu tratamento fora do contexto hospitalar nas unidades de diálise de “cuidados intensivos”.

Cuidados a doentes internados

Os doentes de diálise hospitalizados representam uma população mista, que vai desde os doentes em estado clínico crítico até aos doentes mais autónomos, que se encontram temporariamente no hospital por motivos que não estão diretamente relacionados com o seu estado de diálise. Os tratamentos de diálise são efetuados numa unidade de diálise do hospital.

Terapia de HighVolumeHDF

O elemento essencial da HighVolumeHDF é o uso de dialisadores com poros maiores para a remoção das toxinas e fluidos urémicos. Na diálise convencional, eletrólitos e produtos residuais são removidos do sangue do doente através da difusão - o movimento de solutos a partir de uma solução de concentração mais elevada (sangue) para uma concentração inferior (o dialisado) através de uma membrana semipermeável. O azoto ureico no sangue (AUS) é medido e acompanhado como um reflexo de todas as toxinas que o rim normalmente remove. Com a HighVolumeHDF, o AUS é removido claramente mais depressa. As moléculas de maior dimensão são demasiado grandes para serem removidas através da diálise convencional, mas são removidas com os aparelhos para a hemodiálise de alto Fluxo.

HighVolumeHDF

A terapia de HighVolumeHDF, com os seus inúmeros efeitos positivos nos fatores de risco cardiovascular associados à diálise, é reconhecida como a modalidade de tratamento de diálise mais eficaz1, aproximando-se do perfil de eliminação natural do rim.

Ao alcançar volumes de substituição consideráveis, a terapia HighVolumeHDF apresenta uma eliminação mais eficaz das moléculas médias. A terapia HighVolumeHDF melhora os resultados nos doentes e é benéfica para os principais fatores de risco cardiovascular:

  • Soro ß2-microglobulina e nível de fósforo l2,3,4
  • Resposta inflamatória 5
  • Estabilidade hemodinâmica intradialítica6
  • Controlo da anemia 7
  • Estes fatores contribuem para uma melhor qualidade de vida e para uma melhoria da sobrevivência do doente.8

Gestão do Acesso Vascular

O acesso vascular é frequentemente referido como a «linha da vida» do doente. Dada a importância vital deste tópico, a NephroCare desenvolveu várias ferramentas e serviços que visam a gestão e cuidados do acesso vascular. Mais de uma década de experiência nas nossas clínicas NephroCare deu-nos um elevado nível de especialização em cuidados renais. Reinvestimos constantemente esta experiência na rede NephroCare na forma de diretrizes e abordagens de melhores práticas enriquecidas e guiadas por serviços de coordenação e ferramentas da NephroCare.

Supporting Vascular Access Management at clinic level

To support the easy connection and disconnection of patients in line with the NephroCare Standard Good Dialysis Care and NephroCare Guideline Hygiene and Infection Control requirements the proHD Set as well as the proHD CVC Set have been developed in our clinics.

The dedicated expertise inside our NephroCare network contributes to further best practice knowledge in the vascular access field.

Joint publication projects between Fresenius Medical Care and EDTNA/ ERCA:

  • “Vascular Access Cannulation and Care Guide - A Nursing Best Practice Guide for Arteriovenous Fistula”
  • “Vascular Access Management and Care - A Nursing Best Practice Guide for Central Venous Catheter”

Serviços endovasculares e cirurgias de acesso vascular

A NephroCare fornece altos níveis de especialização para o desenvolvimento de Centros de Acesso Vascular (CAV) que realizam serviços endovasculares e cirurgias de acesso vascular.

Monitorizar os sucessos do acesso vascular

A Gestão dos Acessos Vasculares é uma parte integrante do programa de Excelência da NephroCare e contribui para a otimização das terapias da IRC, para assim melhorar os resultados dos doentes. O programa de Excelência da NephroCare traduz-se através dos objetivos dos Indicadores Chave de Desempenho dedicados que são monitorizados através do Balanced ScoreCard.

Diálise peritoneal

Na diálise peritoneal, uma parte do peritoneu é utilizada como dialisador. A água e os solutos têm capacidade para passar do lado do sangue para o lado do dialisado através da membrana peritoneal. O cateter permanece no lugar durante todo o período em que o doente é submetido à diálise peritoneal. Quando existe dialisado na cavidade peritoneal, a eliminação dos resíduos e da água em excesso ocorre até as concentrações de solutos atingirem o equilíbrio no lado do sangue e do dialisado.

Diferentes prescrições de diálise peritoneal, dependendo do estilo de vida e condição médica do doente

contínua ambulatória

Diálise peritoneal realizada nas nossas clínicas NephroCare

  • Ocorre maioritariamente durante o dia
  • 4 a 5 trocas por dia
  • A troca demora aproximadamente 20 a 30 minutos

 

Diálise peritoneal automatizada realizada em casa do doente

  • Aproximadamente 8 a 10 horas

A cicladora drena e enche de novo a cavidade peritoneal automaticamente

REFERENCES

1 Canaud B., The Early Years of On- Line HDF: How Did It All Start? How Did We Get Here?, Krick G, Ronco C (eds): On- Line Hemodiafiltration: The Journey and the Vision, Contrib  Nephrol, Basel, Karger (2011); 175:  93–109.

2 Canaud B., Effect of Online Hemodiafiltration on Morbidity and Mortality of Chronic Kidney Disease Patients, Ronco C, Canaud B, Aljama P (eds): Hemodiafiltration, Contrib Nephrol, Basel, Karger (2007); 158: 216-224.

3 Penne E.L. et al., Role of Residual Kidney Function and Convective Volume on Change in Beta2-Microglobulin Levels in Hemodiafiltration Patients, Clin J Am Soc Nephrol (2010); 5: 80-86.

4 Davenport A. et al., The effect of dialysis modality on phosphate control: haemodialysis compared to haemodiafiltration. The Pan Thames Renal Audit, Nephrol Dial Transplant (2010); 25(3): 897-901

5 Pedrini L. et al., Long-term effects of high-efficiency on-line haemodiafiltration on uraemic toxicity. A multicentre prospective randomized study, Nephrol Dial Transplant (2011); 0: 1-8

6 Locatelli F. et al., Hemofiltration and Hemodiafiltration Reduce Intradialytic Hypotension in ESRD, J Am Soc Nephrol (2010); 21(10): 1798–1807.

7 Bonforte G. et al.,Improvement of Anemia in Hemodialysis Patients Treated by Hemodiafiltration with High-Volume On-Line-Prepared Substitution Fluid, Blood Purif (2002); 20: 357–363.

8 Maduell F. et al., High-efficiency Postdilution Online Hemodiafiltration Reduces All-Cause Mortality in Hemodialysis Patients, J Am Soc Nephrol (2013); 24(3): 487-497